Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Thiagus: nada mudou até agora na estrutura do handebol
25/10/2020 10:57 em Novidades

   A fase da Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) não é nada boa. Em meio a bastidores agitados na presidência da entidade, o juiz-forano Thiagus Petrus, capitão da Seleção Brasileira, fez um manifesto público sobre o tema (confira no Portal Toque de Bola) e não poupou palavras para criticar o formato como o handebol brasileiro vem sendo conduzido nos últimos anos.

   Ao Toque de Bola, o atleta falou sobre a repercussão de sua carta aberta, mas confessou que não vê uma solução a curto prazo sendo tomada.

  Uma das categorias que tomou providências drásticas foi o handebol de areia. Atletas e comissão das seleções masculina e feminina decidiram abandonar o posto representativo na seleção por conta da manutenção do presidente Ricardo Souza.

   Ricardo foi punido por, de acordo com denúncias, ter assediado moral e sexualmente uma funcionária da confederação durante os Jogos Pan-Americanos em 2019, enquanto ele era presidente em exercício da entidade. 

   O caso foi julgado pelo Conselho de Ética do Comitê Olímpico do Brasil (COB), que julgou "procedente" a representação contra o dirigente.

   Segundo o UOL Esporte, a "conduta inadequada" de Ricardinho, como é conhecido, teria sido notada por diversas pessoas da delegação durante os Jogos Pan-Americanos, poucos meses depois de assumir o cargo interinamente. Mas só em setembro uma denúncia anônima foi feita no Canal de Ouvidoria do COB.

 

   Ricardo Souza não é o único.

    O presidente eleito da entidade, Manoel Luiz Oliveira, foi afastado em setembro por decisão judicial acusado de mau uso do dinheiro público durante o Campeonato Mundial de 2011, sediado no Brasil.

  Manoel presidiu a Confederação por quase 30 anos, entre o fim dos anos 1980 e 2018, quando foi afastado por decisão judicial. Voltou ao poder neste ano, em abril, já que o processo foi arquivado. Manoel foi denunciado pelo Ministério Público Federal de Sergipe por desvio de recursos públicos em contrato do Mundial da modalidade disputado em 2011, em São Paulo.

  Ao Toque, Thiagus vê apenas uma mudança que dê resultados como possível nesse momento: antecipação das eleições.

 

Acompanhe toda a cobertura do que envolve o esporte local em nossas redes sociais, site e aplicativo.

 

Reportagem: Ivan Elias e Pedro Sarmento

 

,

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!